“A vida não é o que deve ser.  A vida é o que é. A maneira como você lida com isso é o que faz a diferença.”

Virginia Satir

Psicoterapeuta norte americana (1916-1988) reconhecida  por seu modelo processual inovador em  terapia familiar, influenciando constelações familiares, PNL (Programação Neurolinguística) entre outros.

Formada em Pedagogia e Assistência Social se tornou uma famosa humanista devido ter como cerne de seu trabalho os valores humanos. Possuía uma visão positiva do homem, sendo contra qualquer tipo de discriminação e injustiça. Ela mesma era um exemplo do que aplicava ,com seu lado humano, na prática com as famílias e grupos diversos: sua presença era marcante através das palavras, toque, gestos de atenção e empatia, elogiava sempre, transformava o negativo em positivo através do amor e esperança.

Mentora da terapia simbólico-existencial, que se baseia nas experiências de cada indivíduo e como as simboliza, tinha a preocupação com o processo, e não com o problema ou conteúdo.

Fundamental para Satir:

Auto-estima

“ Todos viemos ao mundo dotados de um valor igual e intrínseco... A questão NÃO diz respeito a se temos ou não esse valor, mas como o manifestamos. O valor que damos a nós mesmos, se encontra dentro de nós, lutando para ser reconhecido, considerado e validado”

   As cinco liberdades

 

1) Liberdade de ver e ouvir o que está aqui, ao invés do que deveria estar ou que estava ou estará

2) Liberdade para dizer o que sente e pensa, ao invés do que se deve

3) Liberdade para sentir o que sente, ao invés do que deveria

4) Liberdade para pedir o que deseja, ao invés de sempre esperar permissão para querer

5) Liberdade de assumir riscos por sua própria conta, ao invés de optar pela “segurança” apenas e não conduzir o barco ao mar.